armazém cheio de pacotes
Embalagem inflável

Conforme a complexidade da logística aumenta, um pouco de ar vai longe

Rolar para baixo

16 de outubro de 2018

Certamente não é fácil agradar aos clientes. Eles não apenas querem que as coisas sejam mais baratas e entregues mais rapidamente, mas também querem variedade maior de tudo: Mais produtos, maior variedade dos produtos existentes, mais acessórios e mais detalhes. Mais, mais, mais.

Uma recente pesquisa da Logistics Management descobriu que a velocidade do pedido continua alta – e uma  grande variedade de SKUs são necessários para atender à demanda. A média de SKUs aumentou em 855 em 2018. 

Com cada novo SKU surge mais uma complexidade. Onde ele será armazenado? Como deve ser embalado? Qual será o custo de transporte?

Muitas empresas empregam engenheiros de embalagem em tempo integral para projetar e implementar estratégias para embalagem, de forma a minimizar danos e manter os custos de envio sob controle. No entanto, a habilidade de garantir consistência e reduzir os riscos em todo o âmbito do produto é reduzida pela alta rotatividade. Ter um processo de embalagem perfeito é algo questionável se a pessoa que faz a embalagem não estiver mais lá no dia seguinte.

Fazer novas contratações requer um investimento consistente em treinamento, e as empresas precisam aceitar que, durante as primeiras semanas ou meses, essas pessoas sem treinamento terão maior probabilidade de pecar pelo excesso nas embalagens (e enviar caixas a um custo de envio maior) ou pecar pela falta (e aumentar o risco de danos).

Mais SKUs também podem fazer com que as empresas estoquem materiais para embalagem em excesso, para lidar com certas especificidades de um único produto. Ter mais embalagens à escolha pode adicionar caros segundos ao tempo necessário para preparar um pedido, e eleva os desafios de treinamento de mão de obra e conformidade já presentes em várias operações.

Todos esses novos produtos e suprimentos adicionais para embalagem também requerem considerável metragem quadrada nas instalações de logística , que estão ficando mais caras e escassas a cada dia, com taxas de disponibilidade de armazéns atingindo baixas históricas e demandas superando a oferta à razão de dois por um.

A falta de espaço e de mão de obra, muitas opções de embalagem, muitos SKUs: o que as empresas podem fazer para conseguirem respirar um pouco?

A maior parte das empresas com as quais trabalhamos começa tentando racionalizar as opções de embalagem, (simplificando o mix de caixas de papelão e buscar uma caixa de tamanho único) e aumentando seus recursos humanos para cobrir a taxa de rotatividade e manter os níveis de produção estáveis.

O que a maioria não percebe é que as caixas de tamanho único são uma fonte enorme de desperdício (material para preenchimento de espaços vazios em demasia), de aumento de danos (não criam a proteção necessária para o item em seu interior) e perda de produtividade (cada caixa pode levar, em média, até 60 segundos para ser montada, preenchida e selada).

Em vez disso, as empresas precisam de produtos multiuso, que sejam simples de usar e englobem tudo, do preenchimento de espaços vazios ao amortecimento com plástico bolha de alta resistência, além de reduzir o processo de embalagem de SKUs. E melhor ainda se tudo isso puder ser feito em um layout compacto, com soluções que não exigem fileiras e fileiras de prateleiras, nem muita área útil no espaço destinado às embalagens.  

Materiais de embalagem inflável, que podem ser armazenados planas e insuflados quando necessário, podem:

  • Reduzir o espaço de armazenamento em um armazém em até 75%
  • Reduzir a quantidade de material necessário em cada caixa em 50%, sem aumentar os riscos de danos
  • Flexibilidade para ajustar e proteger uma variedade infinita de pedidos, reduzindo a necessidade de materiais em embalagem adicionais  

Um pouco de ar vai longe quando pensamos no valor de conseguir mais espaço no armazém e ajudar os líderes das operações a respirarem aliviados, sabendo que poderão manter a eficiência nos processos de trabalho e a facilidade em sua execução, não importa quantos SKUs tenham de gerenciar.